Da própria segurança.

Não me compreendam mal, mas cabe a pessoa preservar a própria integridade física. Não é importante se são 65% ou 26% que acreditam que a mulher se permite ser agredida sexualmente por estar com roupa que acreditam ser inadequada. Não é questão de perpetuar machismo, mas enquanto existir homens que consideram mulheres como alvos de sua vontade, as mulheres precisam aprender a não só se defender, como se preservarem.

Isso vale para qualquer pessoa, já que segurança é uma sensação, não um fato. Quantas reportagens são feitas mostrando crimes ocorridos próximos de cabines da PM ou de delegacias? Quando um criminoso decide vitimar alguém, não adiantam estatísticas ou páginas no facebook. A pessoa está solitariamente tendo de se defender.

Em relação as roupas, não se trata apenas de exposição de corpo, no caso de estupro, significa facilidade. Por exemplo, uma mulher de saia é mais facilmente atacável do que uma de macacão. Da mesma forma que uma criança de 4 anos é mais facilmente atacável do que uma mulher adulta. Os crimes sexuais não são sobre sexo. Sexo se consegue facilmente de graça ou pagando. Se busca poder nos crimes de violência sexual. O poder de dominar e humilhar um ser, de se controlar, de sobrepujar a vontade do outro. Por isso que a mulher precisa aprender a se preservar.

Sobre as melhores de vestuário e como ter pensamento voltado para comportamento seguro, existem sites melhores do que este para se ler.

Já sobre defesa, escreverei nas próximos posts.

Divido com quem me lê esse pequeno vídeo do filósofo Louis C.K. sobre como os homens são o maior perigo para as mulheres.

Anúncios